]
Governo finaliza consulta pública sobre projeto do BRT da Grande Florianópolis

Governo finaliza consulta pública sobre projeto do BRT da Grande Florianópolis

O governo do Estado de Santa Catarina finalizou ontem (28/11/2016) a parte de consulta pública sobre o projeto de infraestrutura do BRT (Bus Rapid Transit) que deve ser implantado na Grande Florianópolis. Cerca de 50 pessoas participaram da audiência pública, ontem, realizada no CIC (Centro Integrado de Cultura). De acordo com o superintendente da Suderf (Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis), Cássio Taniguchi, todas as contribuições feitas no último mês pelo site serão respondidas e analisadas.

Projeto do BRT para a Via Expressa - Secretaria de Planejamento/Divulgação/ND
Projeto do BRT para a Via Expressa - Secretaria de Planejamento/Divulgação/ND


 

O próximo passo será encaminhar o documento ao TCE (Tribunal de Contas do Estado). “Agora vamos complementar os dados necessários e submeter o edital ao TCE. Eles vão fazer uma análise completa dos editais, de toda a modelagem e dizer se pode liberar a licitação ou se precisa complementar com algo”, afirma Taniguchi. Caso o projeto seja aprovado pelo TCE, a expectativa, de acordo com Taniguchi,é lançar a licitação, que estará aberta internacionalmente, entre janeiro e fevereiro do próximo ano. A empresa escolhida deverá sair em, no mínimo, 45 dias após a publicação do edital.

Na tarde de ontem, a Suderf e a secretaria de Infraestrutura apresentaram o edital e seus anexos, o que inclui o contrato, na modalidade de concessão administrativa. A empresa vencedorá irá implantar, operar, conservar e fazer a manutenção da infraestrutura do sistema de BRT. Esse edital diz respeito somente à infraestrutura do sistema. Uma outra licitação será lançada posteriormente e escolherá o consórcio que irá efetivamente operar o sistema, com a frota de veículos, tarifação, entre outros.

As obras de infraestrutura custarão R$ 1,1 bilhão em forma de PPP (Parceria Público-Privada). O consórcio vencedor pagará 50% do valor total e o governo arcará com a outra metade (R$ 550 milhões). A expectativa é de que o sistema minimize uma série de problemas do atual sistema de transporte público da Grande Florianópolis, como a sobreposição de linhas e o grande tempo de deslocamentos. 

Obras até 2021

Em uma primeira etapa, até 2021, serão implantados 57,5 km do BRT, com 36 estações e quatro terminais de integração, além do sistema de controle operacional, que vai supervisionar toda a operação do sistema, por meio do CCO (Centro de Controle Operacional), que será instalado no Centro da Capital. A expectativa é que os primeiros trechos do BRT estejam prontos em novembro de 2017, e liguem São José até o Centro da Capital.

O projeto que sairá do papel para mudar a mobilidade urbana da Grande Florianópolis leva em conta os diagnósticos feitos pelo Plamus (Plano de Mobilidade Urbana Sustentável) e as avaliações do Observatório de Mobilidade da UFSC. Por ser de menor custo de operação, de implementação e gerar menos tempos de deslocamentos, o Plamus indicou que o meio adequado de transporte para a região seria o BRT.

O objetivo é que, na média, os tempos de viagem sejam reduzidos de 29 minutos para 22 minutos no transporte individual e de 60 minutos para 40 minutos no transporte público. As obras que serão de responsabilidade do governo do Estado dependem oficialmente de liberações de órgãos nacionais, como Ministério dos Transportes, ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Data de Postagem: 2017-03-30 13:45:03